Barra de Vídeo

Loading...

terça-feira, 24 de setembro de 2013

CARREGA PORTO: PERDA DE PONTOS COM MÃO ALHEIA

Estoril-FC Porto, 2-2
Liga portuguesa, 5.ª jornada
22 de Setembro de 2013
Estádio António Coimbra da Mota, em Cascais

Árbitro: Rui Silva (Vila Real)
Assistentes: José Lima e Bruno Trindade

ESTORIL: Vagner (cap.); Anderson Luís, Bruno Miguel, Ruben Fernandes e Babanco; Gonçalo Santos, Diogo Amado e Evandro; João Pedro Galvão, Sebá e Luís Leal
Substituições: Balboa por João Pedro Galvão (71m), Filipe Gonçalves por Diogo Amado (72m) e Mano por Evandro (85m)
Não utilizados: Ricardo Ribeiro, João Pedro, João Coimbra e Bruno Lopes
Treinador: Marco Silva

FC PORTO: Helton; Danilo, Otamendi, Mangala e Alex Sandro; Fernando, Defour e Lucho (cap.); Licá, Varela e Jackson Martínez
Substituições: Quintero por Varela (76m), Ricardo por Defour (84m) e Ghilas por Licá (90m)
Não utilizados: Fabiano, Reyes, Herrera e Josué
Treinador: Paulo Fonseca

Ao intervalo: 1-1
Marcadores: Licá (26m), Evandro (35m, g.p.), Jackson Martínez (67m), Luís Leal (80m)
Disciplina: Cartão amarelo a Mangala (30m), Otamendi (34m), João Pedro Galvão (37m), Babanco (40m), Alex Sandro (59m), Fernando (66m), Anderson Luís (78m) e Vagner (90m)


O FC Porto empatou este domingo (2-2) diante do Estoril, no Estádio António Coimbra da Mota, em jogo a contar para a 5.ª jornada da Liga. Licá (19m) e Jackson Martínez (67m) fizeram os golos dos Dragões, enquanto Evandro, numa grande penalidade mal assinalada (35m), e Luís Leal (80m), em fora de jogo, marcaram para os estorilistas.

Com Defour de regresso à equipa após falhar a estreia na UEFA Champions League devido a castigo, o FC Porto entrou no jogo ao ritmo de Lucho. O duplo aviso do capitão portista (5m e 6m) foi como que uma espécie de prenúncio para o golo do tricampeão. Servido por Varela, Licá soube capitalizar o infortúnio de Babanco e não tremeu na cara de Vagner, dando vantagem aos azuis e brancos (19m).

À passagem dos 35 minutos, Rui Silva e seus pares descortinaram uma bola na mão de Otamendi dentro da área que, na realidade, aconteceu fora da mesma. Grande penalidade mal assinalada que Evandro, indiferente à inacreditável decisão, cobrou com sucesso, estabelecendo o empate a uma bola registado ao intervalo (35m).

Em busca do pleno em jogos oficiais esta temporada, o FC Porto voltou a balançar as redes adversários na etapa complementar, à passagem do 67.º minuto. Varela descobriu Lucho em zona frontal e "El Comandante", com toda a genialidade de quem sabe como poucos aquilo que faz, deixou Jackson Martínez frente-a-frente com Vagner. Com classe, o avançado colombiano “picou” a bola sobre o guardião brasileiro e deu nova vantagem aos Dragões.

À entrada para os derradeiros dez minutos, o Estoril chegou de novo à igualdade, desta feita por intermédio de Luís Leal, num lance em que o avançado estorilista se encontra fora de jogo (80m). Novamente, a arbitragem condicionou o rumo do jogo. Apesar das constantes quebras e perdas de tempo provocadas pelos jogadores do Estoril, o FC Porto seguiu na procura desenfreada pela vitória e ainda viu Vagner negar o golo a Alex Sandro com uma grande defesa (90m+1). Assim se consumou o primeiro empate no campeonato no primeiro jogo oficial que o FC Porto não venceu em 2013/14. Dois pontos que também se perderam por entre o tempo perdido.

fonte: fcporto.pt

DECLARAÇÕES
Paulo Fonseca
“Antes de mais, gostaria de dar os parabéns aos meus jogadores. Tentámos por todos os meios vencer, penso que tivemos bons momentos no jogo e não há nada que se lhes aponte porque tiveram uma atitude extraordinária. Parabéns ao Estoril, que é sempre um adversário difícil, e parabéns ao Jorge Jesus, porque conseguiu jogar em três campos e a estratégia dele e do Benfica resultou. Houve aqui uma clara influência da equipa de arbitragem, que esteve francamente mal. Já pudemos comprovar que o penálti do Estoril foi um metro fora da área. Tenho de dar os parabéns a quem condicionou não só este jogo, porque ontem, no jogo do Sporting, pudemos assistir a mais do mesmo. O que ganhou aqui foi a estratégia do Jorge Jesus.”

“Tradicionalmente, este é um campo difícil, jogámos perante um bom adversário e as grandes equipas têm dificuldade em jogar aqui. O Estoril teve uma estratégia que nos condicionou, mas chegámos ao golo e tivemos mais oportunidades. Em relação à arbitragem, não foi só o lance do penálti que nos prejudicou, acabámos com a defesa toda amarelada e é difícil falar quando as coisas são tão claras. Penso que fizemos uma segunda parte boa, chegámos com mérito à vantagem e depois é óbvio que não podemos sofrer um golo quando estamos a ganhar. Há mérito do Estoril e houve uma condicionante que influenciou fortemente o rendimento dos jogadores.”

“O empate não traz nenhumas consequências porque foi clara a razão por que não ganhámos aqui. Vamos continuar a entrar em todos os jogos para vencer, não é este empate, ainda para mais da maneira como foi conseguido, que nos vai retirar ambição. Vamos lutar em todos os campos contra qualquer adversário, sabendo que há coisas que não podemos ultrapassar.”

Licá
“O Estoril em casa é muito forte, entrámos a ganhar, eles empataram, voltamos a colocar-nos em vantagem e eles voltaram a empatar. Não era o resultado que queríamos, mas há que levantar a cabeça, o grupo está unido e vamos pensar já em ganhar o próximo jogo. O Estoril vai ser sempre um clube especial para mim, por isso não festejei por respeito, mas queria a vitória, sem dúvida.”

Sem comentários:

Enviar um comentário