Barra de Vídeo

Loading...

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

CARREGA PORTO: O REGRESSO DE LUCHO


Lucho Gonzáles assinou esta terça-feira contrato com o FC Porto. Os Dragões adquiriram ao Marselha os direitos desportivos e 100% dos direitos económicos a custo zero do internacional argentino.
fonte: fcporto.pt


quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

OS JOGADORES DE FUTEBOL E AS REDES SOCIAIS

Para uns é o futuro. Para outros é inevitável e já faz parte do corpo humano como se um membro se tratasse. Para outros, deve ser usado e até apoiam, mas quando as coisas acontecem, é um problema e desatam a malhar em tudo o que mexe. Estou a falar obviamente das redes sociais dos nossos jogadores, nomeadamente das "Twittadas" e "Facebookadas" dos jogadores de Futebol, que este ano parece ter pegado moda total no meu clube.
Durante muitos anos, com ataques todas as semanas vindos da comunicação social, o FC Porto adoptou o sistema de blackout, no qual o grupo se virava e concentrava para dentro, onde não havia mudança de discurso e onde só uma voz falava, a voz de comando. O resultado está à vista. Um clube que se gere de dentro para fora e só dá a conhecer aquilo que quer e aquilo que lhes interessam que se saiba, porque neste ninho de cobras que é o Futebol Português, o segredo é mesmo a “alma do negócio”.
Actualmente já não é assim.
Acham normal um jogador como Souza, questionar escolhas do treinador via twitter?
Como é possível Guarin fazer uma meia despedida no facebook e outra meia chegada de amor eterno ao clube?
Alguém acha normal jogadores do FC Porto escreverem certas coisas no twitter, como por exemplo, Falcao, e depois quando provavelmente o meu clube o castigou, ele veio dizer que não era página oficial?
Mas que raio de modernices são estas que se usam páginas de publicidade para grupos de fãs, e aquilo só serve para mandar recados quando estamos amuados?
Na minha opinião, os jogadores do FC Porto (e os outros) deviam utilizar as redes sociais para falar da sua vida pessoal, deixando a vida profissional ser gerida pelo clube, que esses sim, já deram provas de saber aquilo que fazem, e que lutem pelos interesses dos atletas.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

ELES VOLTARAM!



Prepara-te para regressar ao futuro, porque eles estão de volta. Gomes, Vítor Baía, Rui Barros e Capucho, entre outras estrelas, vestem de novo a camisola do FC Porto para integrar a Liga Fertiberia, prova de futebol indoor, que, à quinta edição, extravasa as fronteiras de Espanha e alarga o número de competidores com a inclusão da equipa azul e branca e dos mexicanos do América.

Na primeira fase da prova, que apura para os quartos-de-final os quatro primeiros classificados de dois grupos, a versão “Vintage” do FC Porto defronta o Sevilha, o Deportivo da Corunha, o Málaga, o Celta de Vigo e o Gijón, fazendo a estreia a 3 de Fevereiro, no Dragão Caixa, precisamente frente ao Gijón, que defende o título conquistado na época passada.

Entre as 12 equipas, todas elas compostas por jogadores com 35 anos ou mais, constam outros adversários sonantes, como Barcelona, Real Madrid, Atlético de Madrid, Valência, Espanyol e América.

O plantel portista é composto por alguns dos nomes incontornáveis da história dos Dragões, como Fernando Gomes, Vítor Baía, Rui Barros, João Pinto, Fernando Couto, Paulinho Santos, Folha, Capucho, Bandeirinha, André ou Pedro Emanuel.

Os bilhetes para o jogo de estreia estarão à venda esta terça-feira, nas Lojas do Associado e nas Lojas Azuis, a cinco (sócios) e 10 euros (público).
fonte: fcporto.pt

domingo, 15 de janeiro de 2012

CARREGA PORTO: FC PORTO 2-0 RIO AVE

FC Porto-Rio Ave, 2-0
Liga portuguesa 2011/12, 15.ª jornada
14 de Janeiro de 2012
Estádio do Dragão, no Porto
Assistência: 24.419 espectadores

Árbitro: Marco Ferreira (AF Madeira)
Assistentes: José Lima e Nelson Moniz
Quarto árbitro: Sílvio Gouveia

FC PORTO: Helton (cap.); Maicon, Rolando, Otamendi e Alvaro; Fernando, Defour e Belluschi; Rodríguez, Hulk e James
Substituições: Hulk por Kléber (32m), Belluschi por Iturbe (65m) e Rodríguez por Varela (76m)
Não utilizados: Bracali, Mangala, Souza e Alex Sandro
Treinador: Vítor Pereira

RIO AVE: Huanderson; Jean Sony, Gaspar (cap.), Jeferson e Tiago Pinto; Bruno China, Wires e Jorginho; Kelvin, João Tomás e Yazalde
Substituições: Jorginho por Braga (59m), Kelvin por Mendes (70m) e Yazalde por Saulo (79m)
Não utilizados: Paulo Santos, Pateiro, Zé Gomes e Éder
Treinador: Carlos Brito

Ao intervalo: 1-0
Marcadores: James (42m e 80m)
Cartões amarelos: Maicon (49m), Gaspar (53m), Bruno China (61m) e Iturbe (83m)
Cartão vermelho: Rolando (94m)

Este foi o 54.º encontro consecutivo que os azuis e brancos cumprem na Liga sem perder. Está assim ultrapassado o registo obtido por Bobby Robson, entre Outubro de 1994 e Março de 1996 (o recorde nacional é de 56 jogos). Para além disso, o FC Porto não perde no Dragão, para a Liga, desde 25 de Outubro de 2008, há 50 partidas. Curiosamente, os golos que valeram então a vitória ao Leixões (3-2) foram apontados por Bruno China e Braga, que alinharam este sábado com a camisola do Rio Ave.
A história da primeira parte é uma história de muita posse de bola portista e de um Rio Ave posicionado de forma muito conservadora. Sem João Moutinho, Vítor Pereira optou por colocar Defour como titular. O meio-campo portista funcionou de forma dinâmica no arranque da partida, mas depois os vila-condenses conseguiram colocar “gelo” no jogo, numa noite, aliás, verdadeiramente gelada (estiveram menos de 10º centígrados no Dragão e a chuva foi uma constante).
Rolando e James estiveram perto de marcar, ainda antes de Hulk sair lesionado, aos 32 minutos, na sequência de um “sprint” (Kléber entrou para o seu lugar). Os forasteiros, através de um remate de Kelvin, apenas incomodaram Helton aos 37 minutos. Mas o golo do FC Porto haveria de surgir antes do intervalo: James deu um “nó” em Tiago Pinto, na direita, e bateu Huanderson com um remate em jeito, de pé esquerdo.
Logo no recomeço, um cabeceamento de Rodríguez, na sequência de um canto, quase dava o segundo golo aos portistas. A única verdadeira situação de grande perigo do Rio Ave surgiu aos 48 minutos, mas Yazalde nem chegou a “assustar” Helton. O FC Porto repetia o bom início de primeira parte e Belluschi – em boa posição – e Kléber – num lance em que o guardião Huanderson teve de aplicar – estiveram perto do segundo tento.
Do lado do Rio Ave, o ex-portista Jorginho foi substituído por Braga e saiu de campo com uma ovação. O público do Dragão não esquece quem deu tudo pela causa azul e branca e o médio foi decisivo no título nacional de 2005/06, quando apontou o golo da vitória no terreno do Sporting, que praticamente decidiu esse campeonato. Curiosamente, quem o substituiu foi Braga, um dos jogadores do Leixões que marcaram ao FC Porto na última derrota caseira para o campeonato.
Vítor Pereira fez entrar Iturbe aos 65 minutos. Faltava no entanto resolver a questão do vencedor, e lá apareceu James de novo. Aos 80 minutos, com um belo trabalho dentro da área vila-condense, em que voltou a tirar Tiago Pinto da frente, fez o 2-0, com um remate cruzado, desta vez de pé direito. Huanderson não tinha hipótese de defesa e ainda defendeu “com os olhos” um remate em arco de Varela, aos 87 minutos. Para o FC Porto, a única nota negativa destes últimos minutos foi a expulsão de Rolando, já em período de descontos, com um vermelho directo.

domingo, 8 de janeiro de 2012

CARREGA PORTO: VAMOS LÁ PORTO

Sporting-FC Porto, 0-0
Liga, 14.ª jornada
7 de Janeiro de 2012
Estádio de Alvalade, em Lisboa
Assistência: 48.855 espectadores

Árbitro: Pedro Proença (Lisboa)
Árbitros assistentes: Tiago Trigo e Ricardo Santos
Quatro Árbitro: Hugo Miguel

SPORTING: Rui Patrício; João Pereira, Onyewu, Polga (cap.) e Insúa; Rodrigo Neto, Elias e Schaars; Carrillo, Van Wolfswinkel e Capel
Substituições: Rodrigo Neto por Matias (54), Carrillo por Izmailov (62) e Capel por Evaldo (69)
Não utilizados: Marcelo, Bojinov, Arias e Martins
Treinador: Domingos Paciência

FC PORTO: Helton (cap.); Maicon, Rolando, Otamendi e Alvaro; Fernando, João Moutinho e Belluschi; Djalma, Hulk e Rodríguez
Substituições: Djalma por James (59), Belluschi por Defour (68) e Rodríguez por Kléber (77)
Não utilizados: Bracali, Mangala, Souza e Alex Sandro
Treinador: Vítor Pereira

Disciplina: Cartão amarelo: Rodrigo Neto (2), João Moutinho (27), Otamendi (30), Carillo (45), Polga (47), Fernando (63), Hulk (67), Schaars (84)

Seria mais preferível escrever a primeira crónica no CARREGA PORTO, com uma vitória portista. Há que começar por algum lado. O empate não me vai deitar abaixo, nem frustrar o blogue.


De volta à casa de partida, onde, há quase dois anos, sofreu o mais recente desaire na Liga, o FC Porto elevou para 53 jogos a sequência invencível, que teria outro brilho se, para cúmulo do azar, não tivesse sido Otamendi a negar o golo da vitória a James.
A entrada portista, antes que o jogo tivesse tempo bastante para ser repartido, foi atípica. No terreno de um rival, obrigado a encurtar distâncias, os Dragões deram por si na iminência de defender primeiro, antes de poder recuperar terreno e orientar o fluxo atacante na direcção de Rui Patrício.
Foi questão de minutos, poucos minutos, antes de Hulk concentrar atenções e capitalizar, entre marcações implacáveis, um número interessante, mas forçosamente desagradável, de faltas sofridas. No equilíbrio de intenções e acções, que gerou demasiados lapsos para um só relvado, o campeão conseguiu os ensaios mais aproximados ao golo.
A primeira ameaça realmente séria foi formulada de cabeça, o que faz todo o sentido. Aos 12 minutos, Maicon pensou bem, mas executou pior, permitindo a defesa de Patrício. Mas o perigo só se esgotou uns metros adiante, enquanto durou a sensação de que Djalma poderia fazer melhor na recarga.
Curiosamente, o primeiro momento do lance reproduzir-se-ia um pouco mais tarde, mas na baliza contrária e com Helton a responder com competência ao cabeceamento de Polga. Muitos minutos depois, já na segunda parte, o capitão portista evitaria o pior aos pés de Van Wolfswinkel, numa altura em que o Sporting encontrava no contra-ataque a resposta ao domínio crescente dos Dragões, que antes tinham estado perto de marcar, por Hulk, hábil a tirar dois adversários do caminho, mas incapaz de dar a melhor direcção ao remate.
James e Defour, que entraram em cena no decurso da segunda parte, acrescentaram velocidade e soluções ao momento ofensivo dos Dragões. O colombiano teve duas excelentes oportunidades para marcar, com o azar dos azares de ter sido Otamendi a negar-lhe o golo à segunda tentativa, que fechou a mais bem conseguida jogada de todo o encontro e com ela, o jogo também.

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

FOLCORE

Com a inevitável autopromoção e um toquezinho xenófobo, Rui Santos volta hoje, nas páginas do jornal Record, a utilizar indevidamente e com mentira o nome do FC Porto. Já não é mania, já é mesmo defeito.

Afirmando-se pomposamente um lutador pela "consagração do jogador português", apesar de ninguém nunca lhe ter conhecido contributo algum em defesa do futebol português ou do jogador português - palavras leva-as o vento -, Santos escreve que o FC Porto não tem jogadores portugueses na sua equipa. Pois não, Rolando, João Moutinho e Varela jogam pela selecção das Malvinas, como diz o outro...

O problema de Santos é não querer - ou poder - criticar alguns e então, para dourar a pílula, mete à pressão o nome do FC Porto, nem que isso o obrigue a mentir, o que, como se sabe, não lhe custa nada.

O FC Porto não precisa de se pôr em bicos de pés para lhe ser reconhecida a maior importância na defesa do futebol português, levando-o com o prestígio de tantas vitórias aos quatro cantos do Mundo, e do jogador português, ou não tivesse há mais de duas décadas a maioria dos jogadores da selecção portuguesa origem no FC Porto. Isto sim é consagrar o futebol português e o jogador português. Sem xenofobia, sem patriotismos parolos, sem demagogia e com a coragem e o orgulho de ser o clube português de mais sucesso. O resto, sim, é folclore.
fonte: fcporto.pt

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

CARREGAPORTO.BLOGSPOT.COM

Informação: Publicado a 02/01/12 às 10:00.
Actualizado a 10/01/12 às 10:00.



Com um novo dono, uma nova estrutura e um formato mais simples o blogue portista CARREGA PORTO! está de volta à luz do dia.
Porque um blogue como este não podia cair no esquecimento da blogosfera portista.


NOME: CARREGA PORTO!
ENDEREÇO: CARREGAPORTO.BLOGSPOT.PT


O CARREGA PORTO! vai falar e divulgar o Futebol Clube do Porto.
Vai abordar também os jogos de futebol do FC Porto; e outras notícias que digam respeito ao FC Porto. 
Em tom sério e de ironia serão tratados e publicados assuntos dos rivais do FC Porto.