Barra de Vídeo

Loading...

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

LIGA CAMPEÕES 2014/2015 - SORTEIO FASE GRUPOS

O sorteio da fase de grupos da UEFA Champions League 2014/15, que se realizou esta quinta-feira em Nyon, na Suíça, colocou o FC Porto no Grupo H da competição, juntamente com Shakhtar Donetsk (Ucrânia), Atl. Bilbao (Espanha) e BATE Borisov (Bielorrússia).

O Shakhtar Donetsk, campeão ucraniano na época passada, vai cumprir a décima presença na fase de grupos da UEFA Champions League, sendo que o melhor que conseguiu foi atingir os quartos-de-final da competição. O croata Srna e os brasileiros Douglas Costas e Luiz Adriano são algumas das principais figuras da equipa comandada por Mircea Lucescu.

O Atl. Bilbao, quarto classificado na passada edição da Liga espanhola, participou apenas por uma vez na fase de grupos da UEFA Champions League (1998/99). Com uma equipa 100 por cento basca, eliminou o Nápoles com um agregado de 4-2 no play-off de acesso (1-1 em Nápoles, 3-1 em Bilbau).

O BATE Borisov, campeão em título da Bielorrússia, parte para a quarta participação na fase de grupos da UEFA Champions League. Na temporada transacta ficou-se pela segunda pré-eliminatória, mas na presente levou a melhor sobre o Slovan Bratislava no play-off de acesso (1-1 em Bratislava, 3-0 em Borisov).


Grupo A
Atlético de Madrid (Espanha)
Juventus (Itália)
Olympiakos (Grécia)
Malmö (Suécia)

Grupo B
Real Madrid (Espanha)
Basileia (Suíça)
Liverpool (Inglaterra)
Ludogorets (Bulgária)

Grupo C
Benfica (Portugal)
Zenit (Rússia)
Bayer Leverkusen (Alemanha)
Mónaco (França)

Grupo D
Arsenal (Inglaterra)
Borussia Dortmund (Alemanha)

Galatasaray (Turquia)
Anderlecht (Bélgica)

Grupo E
Bayern Munique (Alemanha)
Manchester City (Inglaterra)
CSKA Moscovo (Rússia)

Grupo F
FC Barcelona (Espanha)
PSG (França)
Ajax (Holanda)
APOEL (Chipre)

Grupo G
Chelsea (Inglaterra)
Schalke 04 (Alemanha)
Sporting (Portugal)
Maribor (Eslovénia)


Grupo H
FC PORTO (Portugal)
Shakhtar Donetsk (Ucrânia)
Atl. Bilbao (Espanha)
BATE Borisov (Bielorrússia)


fonte: fcporto.pt

FC PORTO E UNICER REFORÇAM UNIÃO DE DUAS DÉCADAS

O FC Porto e a Unicer oficializaram, esta quinta-feira, a renovação por mais dois anos do acordo de patrocínio que os liga, numa cerimónia que teve lugar no Auditório José Maria Pedroto, no Estádio do Dragão, e que contou com as presenças de Jorge Nuno Pinto da Costa, presidente do FC Porto, e João Abecassis, presidente da Comissão Executiva da Unicer.

“Quando se renova ou reforça uma ligação, só pode ser bom sinal. A Unicer é um parceiro preferencial do FC Porto e tem cada vez mais requinte na forma como lida com os seus clientes. Acredito firmemente que esta não será a última renovação e estamos felizes por termos reforçado uma ligação que tão bons resultados tem dado para ambas as partes. O objectivo é continuar a ter sucesso com esta parceria”, afirmou o presidente portista Jorge Nuno Pinto da Costa.

O sucesso desta parceria é inegável e os números comprovam-no. Desde 1994, ano em que se celebrou o primeiro contrato entre o FC Porto e a Unicer, os Dragões conquistaram 40 títulos: 14 Campeonatos Nacionais, 13 Supertaças portuguesas, nove Taças de Portugal, duas Taça UEFA/Liga Europa, uma UEFA Champions League e uma Taça Intercontinental. A forte ligação entre as duas entidades existe há 20 anos e reflecte-se em diversas vertentes de sponsorização, nomeadamente através da marca Super Bock.

“Creio que esta renovação nem se pode considerar notícia. Notícia seria se ela não acontecesse. São duas grandes marcas portuguesas, numa relação claramente vencedora, com muitas conquistas partilhadas e que nos tem trazido grande visibilidade nacional e internacional. É uma ligação especial que queremos manter, já a pensar na celebração das bodas de prata”, declarou João Abecassis, presidente da Comissão Executiva da Unicer, antes de brindar à renovação com Jorge Nuno Pinto da Costa.

fonte: fcporto.pt

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

CARREGA PORTO: FC PORTO 2-0 LILLE

FC PORTO-Lille, 2-0

UEFA Champions League, 2ª mão play-off
Terça-feira, 26 Agosto 2014 - 19:45
Estádio: Dragão, Porto
Assistência: 45.208

Árbitro: Svein Oddvar Moen.
Assistentes: Kim Thomas Haglund e Frank Andas; Ken Henry Johnsen e Svein-Erik Edvartsen.
4º Árbitro: Sven Erik Midthjell.

FC PORTO: Fabiano, Danilo, Maicon, Martins Indi, Alex Sandro, Casemiro, Rúben Neves, Óliver Torres, Herrera, Brahimi, Jackson Martínez.
Suplentes: Andrés Fernández, Reyes (39' Alex Sandro), Evandro (62' Rúben Neves), Quintero, Ricardo (84' Casemiro), Quaresma, Adrián López.
Treinador: Julen Lopetegui.

LILLE: Enyeama, Béria, Rozehnal, Kjaer, Souaré, Mavuba, Gueye, Balmont, Corchia, Roux, Origi.
Suplentes: Elana, Delaplace (77' Gueye), Rodelin, Soumaoro, Marcos Lopes (71' Corchia), Ryan Mendes (67' Roux).
Treinador: René Girard.

Ao intervalo: 0-0.
Marcadores: Brahimi (49'), Jackson Martínez (69').
Disciplina: Gueye (70'), Balmont (81'), Kjaer (89').

Depois de uma vitória pela margem mínima no terreno do Lille, o FC Porto afastou quaisquer dúvidas e voltou a triunfar frente ao Lille, desta vez em casa, por 2-0. Com este resultado, os dragões carimbaram a passagem para a fase de grupos da liga milionária.Novamente com Quaresma no banco e o jovem sensação Rúben Neves a titular, a equipa de Lopetegui entrou a matar. Logo nos primeiros cinco minutos, Martins Indi atrasou para a entrada da área, onde apareceu o jovem portista a encher o pé e a atirar à baliza adversária, mas por cima.
O FC Porto continuava a acelerar. Grande cruzamento de Danilo, a meter no segundo poste onde aparecia Jackson Martínez, mas o colombiano atirou para fora.
Perto do quarto de hora, Óliver ganhou uma falta que resultou num livre. Herrera a marcar, optou por atirar directamente à baliza francesa, mas Enyeama desviou com os punhos. Passou o perigo.
À passagem da meia-hora, Rúben Neves perdeu uma bola em zona proibida. Gueye apareceu sozinho na cara de Fabiano, valeu o toque ligeiro de Maicon, a impedir o remate do médio do Lille.
Até ao intervalo, o fulgor inicial do FC Porto perdeu-se, mas nem por isso o Lille se tornou mais perigoso. A equipa de René Girard mostrava-se inofensiva.
O segundo tempo, que começou sem qualquer alteração nos dois lados, trouxe os golos que os mais de 45 mil espectadores queriam ver. Brahimi sofreu uma falta e foi ele mesmo que se encarregou de cobrar o livre. O franco-argelino, em zona frontal, atirou directamente à baliza adversária e bateu Enyeama.

Aos 50 minutos, Origi não concluiu da melhor forma um lance de ataque pela esquerda. Corchia, aos 51 minutos, rematou fortíssimo num livre superiormente batido que Fabiano defendeu. Roux não conseguiu dar melhor sequência a um cabeceamento aos 55 minutos. Em sete minutos o Lille reagiu muito bem ao golo portista mas não conseguiu materializar as oportunidades criadas. E por ali terminaram as suas hipóteses de qualificação.
Após o primeiro golo, o FC Porto recuou as linhas e passou a actuar em 4X5X1, reforçando a sua zona intermédia. Numa investida individual, Herrera rematou fortíssimo de fora da área e o guarda-redes do Lille sacudiu para canto.

DECLARAÇÕES

Lopetegui: “Fizemos dois jogos magníficos”
​Duas vitórias frente ao Lille e lugar reservado entre as 32 equipas que vão disputar a fase seguinte da maior prova europeia de clubes. Na conferência de imprensa que se seguiu ao triunfo caseiro sobre os franceses (2-0), Julen Lopetegui destacou a exibição colectiva na eliminatória e considera que os Dragões deixaram pelo caminho “uma equipa forte”.

“Foi muito difícil, pois tivemos pela frente um grande adversário. A equipa fez dois jogos magníficos e está de parabéns, pois mereceu ultrapassar esta eliminatória. Os adeptos foram maravilhosos e ajudaram-nos a concretizar um objectivo muito importante para nós, que era estar na UEFA Champions League”, começou por afirmar o treinador espanhol.

Ciente de que o processo de evolução demorará o seu tempo, Julen Lopetegui garantiu que ainda há muito para melhorar e deixou elogios ao Lille. “Estamos a construir uma equipa e continuamos a precisar de melhorar em vários aspectos. Fizemos dois grandes jogos frente a uma equipa forte e que exigiu o máximo de nós. Só conseguimos vencer o Lille porque trabalhámos muito para isso”.

No entender do técnico basco, o FC Porto entrou bem no jogo mas perdeu fulgor “nos últimos quinze minutos” da primeira parte, altura em que o Lille assumiu o comando das operações. O momento de inspiração de Brahimi, garante, foi essencial para lançar os Dragões para a vitória. “Começámos bem o jogo, mas perdemos fulgor na parte final da primeira parte. Reentrámos forte na segunda e o grande golo do Brahimi deu-nos mais tranquilidade, sabendo, ainda assim, que nunca poderíamos relaxar frente a uma equipa como o Lille”.

Ao fim de quatro jogos oficiais, o FC Porto mantém as suas redes invioladas. Julen Lopetegui volta a puxar pelo colectivo e deixa um alerta: “Uma equipa que quer ser bem sucedida tem de ser forte em todos os sectores”. "Estamos a responder bem em termos defensivos, mas podemos ser ainda melhores. Estamos felizes por estar na UEFA Champions League. É algo muito importante para o clube e para os nossos adeptos”, acrescentou.


Jackson: “Estamos preparados para perseguir as vitórias”

O colombiano Jackson Martínez marcou o segundo golo do FC Porto na vitória desta terça-feira (2-0), frente ao Lille, e destacou o “bom trabalho” que os Dragões fizeram “frente a uma equipa que lutou muito”. Jackson realçou também que o conjunto azul e branco “podia ter marcado mais golos”, mostrando-se “contente pelo apuramento”.

“Fizemos um bom trabalho frente a uma equipa que lutou muito. Estava a ser difícil controlar o jogo e soubemos esperar e organizá-lo, para conseguirmos jogar mais perto uns dos outros. Estou contente pelo apuramento. Penso que tivemos muitas ocasiões de golo e que estivemos bem defensivamente”, destacou o avançado sul-americano.

Jackson assumiu também que pensa sempre “em ajudar a equipa”: “Os triunfos são colectivos e são mais importantes do que aquilo que posso alcançar individualmente. O importante é que eu esteja bem quando surgirem ocasiões de golo para poder marcar”. Em relação aos adversários futuros, Jackson deixa o aviso: “Há jogos mais difíceis, outros mais tácticos, e temos de tratar de entrar sempre como temos trabalhado na pré-época. Sempre preparados para perseguir as vitórias, como esta, que foi importante”.

Confirmando que a equipa ainda tem muito por onde melhorar, Jackson agradeceu aos adeptos, apesar de lhes pedir o apoio nos bons e nos maus momentos: “Penso que os adeptos têm de aprender a ajudar a equipa a ultrapassar os momentos difíceis. Em qualquer competição, em qualquer jogo, toda a gente tem de apoiar a equipa - é disso que precisamos. A equipa entrega-se, dá sempre o seu melhor e o apoio ajuda-nos a ultrapassar as dificuldades”.

Martins Indi: “O FC Porto tem de estar sempre na Champions”

​O central holandês Martins Indi voltou a integrar a defesa portista, que ainda não sofreu golos nos quatro jogos oficiais disputados. Após a vitória sobre o Lille, que valeu a qualificação para a fase de grupos da UEFA Champions League, o internacional holandês mostrou-se feliz por ter ajudado a equipa a conseguir o primeiro dos objectivos da temporada e disse também que o facto de ser um jogador polivalente “é importante para acrescentar mais soluções à equipa”.

Martins Indi valorizou o papel de todos na vitória desta noite, referindo que a equipa “jogou muito bem”: “Apesar de, por vezes, os passes não terem saído muito bem, o facto é que quando marcamos sentimos que o jogo estava controlado. Ganhámos e estou muito contente, até porque o FC Porto tem de estar sempre na Champions League. O Lille é uma boa equipa, a qualificação foi difícil, mas estamos muito satisfeitos”.

O central, que na noite desta terça-feira, jogou também a lateral-esquerdo, após a saída de Alex Sandro por lesão, afirmou ser óptimo poder ajudar a equipa: “Tive de pensar de forma diferente após a saída do Alex Sandro. Eu sou central, mas estou habituado a jogar a lateral e consegui ajudar nessa posição. É importante fazer um bom trabalho nessa posição, para dar mais soluções à equipa”.

Maicon: “Foi uma vitória mais do que merecida”

Depois da vitória (2-0) sobre o Lille, que garantiu a presença na fase de grupos da UEFA Champions League, o ambiente que se vivia no Dragão era, naturalmente, de felicidade e Maicon reflectia a satisfação do balneário portista. O brasileiro realçou “uma vitória mais do que merecida” num “bom jogo” do FC Porto.

O central brasileiro acrescentou que a equipa esteve em excelente plano, tanto no Dragão, como no Pierre-Mauroy, em Lille: “Estudámos bastante a equipa do Lille, eliminámos os pontos fortes deles e creio que foi uma vitória mais do que merecida. Somos uma equipa jovem, com personalidade, que gosta de jogar em posse e que foi superior nos dois jogos”.

Destacando a qualidade dos jogadores do Lille, Maicon afirmou também que “o plantel tem alternativas, com jogadores que completam quem está a jogar” e realçou a justiça do resultado: “A equipa procurou sempre a vitória e conseguimos o nosso principal objectivo, que era a qualificação”.

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

CARREGA PORTO: ABOUBAKAR É REFORÇO

COMUNICADO

A Futebol Clube do Porto – Futebol, SAD vem comunicar, nos termos do artigo 248º nº1 do Código dos Valores Mobiliários, ter chegado a acordo com o Football Club Lorient Bretagne Sud para a aquisição dos direitos desportivos, e 30% dos direitos económicos, do atleta Vincent Aboubakar pelo montante de 3.000.000€ (três milhões de euros).

Mais se informa que esta sociedade celebrou com o jogador um contrato válido por 4 épocas desportivas, ou seja, até 30 de Junho de 2018, tendo acordado uma cláusula de rescisão no montante de 50.000.000 € (cinquenta milhões de euros).

O Conselho de Administração
Porto, 24 de Agosto de 2014

CARREGA PORTO: 1,2,3 DIGA LÁ JACKSON OUTRA VEZ

Paços de Ferreira-FC Porto, 0-1

Primeira Liga, 2ª jornada
Sábado, 23 Agosto 2014 - 18:00
Estádio: Capital do Móvel, Paços de Ferreira

Árbitro: Manuel Mota (Braga)
Assistentes: Paulo Vieira e Jorge Oliveira
4º Árbitro: Cosme Machado

PAÇOS FERREIRA: Rafael Defendi, Jailson, Ricardo Ferreira, Ricardo, Hélder Lopes, Seri, Sérgio Oliveira, Minhoca, Manuel José, Cícero, Hurtado.
Suplentes: António Filipe, Flávio Boaventura, Valkenedy, Nélson Pedroso, Vasco Rocha (72' Manuel José), Barnes Osei (30' Hurtado), Rúben Ribeiro (80' Minhoca).
Treinador: Paulo Fonseca.

FC PORTO: Fabiano, Ricardo, Maicon, Martins Indi, Alex Sandro, Casemiro, Rúben Neves, Evandro, Cristian Tello, Jackson Martínez, Adrián López.
Suplentes: Andrés Fernández, Marcano, Brahimi, Quintero (18' Cristian Tello), José Ángel, Herrera (57' Evandro), Óliver Torres (65' Rúben Neves).
Treinador: Julen Lopetegui.

Ao intervalo: 0-1.
Marcadores: Jackson Martínez (40').
Disciplina: Seri (5'), Hélder Lopes (15'), Evandro (23'), Manuel José (36'), Alex Sandro (53'), Ricardo Ferreira (56'), Minhoca (61'), Maicon (64'), Óliver Torres (79'), Sérgio Oliveira (88').


O colombiano Jackson Martínez foi a figura do encontro deste sábado, em que o FC Porto venceu o Paços de Ferreira (1-0), ao marcar o seu terceiro golo em três épocas no estádio dos pacenses, confirmando a segunda vitória consecutiva do FC Porto na Liga 2014/15. Num campo tradicionalmente difícil, os Dragões repetiram o resultado da época passada, exactamente com o mesmo protagonista, num bom presságio para o jogo de terça-feira, com o Lille, da segunda mão do play-off da Champions League (19h45).

Com quatro novidades na equipa inicial face ao encontro em Lille - Ricardo, Evandro, Tello e Adrián López foram titulares por vez de Danilo, Herrera, Brahimi e Óliver -, os Dragões entraram em campo a tentar impor o ritmo de jogo que tem sido marca de Lopetegui: posse de bola e domínio territorial do desafio. Aos 18 minutos, surgiu a primeira contrariedade para os portistas, com Tello a sair lesionado, dando lugar a Quintero. Só à passagem dos 20 minutos é que a formação visitada subiu um pouco mais no terreno, tentando surpreender a defensiva do FC Porto com lançamentos longos que eram resolvidos com tranquilidade.

Na frente, faltava um clique, algo que desse continuidade ao amplo domínio de jogo do FC Porto. E esse clique veio aos 40 minutos, a partir de um alívio a um canto (o 8.º da partida para os Dragões): Alex Sandro recuperou a bola, colocou-a em Quintero que, desmarcado na direita, lançou a bola para Jackson. O capitão, no segundo poste, não desperdiçou a oportunidade e marcou o seu terceiro golo em três jogos no campo do Paços de Ferreira, fazendo o resultado ao intervalo (1-0).

O primeiro remate da segunda parte foi de Casemiro (49m), mantendo-se a toada da partida, com o domínio territorial dos comandados de Julen Lopetegui (a posse de bola, ao intervalo, era de 70%, favorável aos Dragões) e a equipa pacense mais expectante, à espreita de espaços nas costas da defesa portista. No entanto, as duas melhores oportunidades do início da segunda parte foram mesmo dos pacenses: Cícero cabeceou por cima da baliza de Fabiano aos 55m e, cinco minutos depois, foi Hélder Lopes que enviou a bola por cima do travessão.

A entrada de Herrera e Óliver foram a forma engendrada por Lopetegui para evitar males maiores na baliza portista, refrescando o meio-campo e tentando forçar, novamente, o Paços de Ferreira a cerrar fileiras atrás. Herrera rematou aos 70 minutos à figura de Defendi (após grande jogada de Ricardo na direita), numa altura em que o jogo estava mais “partido”, com ambas as equipas a tentar impor mais pressão sobre o portador da bola.

O meio-campo portista passou a ditar as leis e o Paços de Ferreira não criou mais oportunidades de perigo até ao final, apesar de algum ascendente no jogo. O último sinal "mais" na partida até foi do FC Porto, com Quintero, aos 90 minutos, a rematar a bola por cima da baliza de Defendi. O encontro terminou mesmo com a vitória dos portistas por 1-0, na 12.ª vitória em 17 jogos em Paços de Ferreira para a Liga, num jogo em que os Dragões demonstraram a sempre necessária capacidade de sofrimento com que se fazem as equipas vencedoras.


DECLARAÇÕES
Lopetegui: “Vencemos um jogo difícil”

Satisfeito pela segunda vitória consecutiva no campeonato, que é a terceira em outros tantos jogos oficiais, Julen Lopetegui considera que o FC Porto foi melhor nos primeiros 45 minutos, mas sentiu “maiores dificuldades” na segunda. Agora, o técnico basco já aponta baterias para o segundo jogo frente ao Lille, referente à segunda mão do play-off de acesso à UEFA Champions League, agendado para terça-feira, às 19h45, no Estádio do Dragão.

“Fomos superiores na primeira parte, mas demos um passo atrás na segunda e sentimos maiores dificuldades. Soubemos sofrer e vencemos um jogo difícil, frente a uma equipa muito aguerrida e organizada. Foi um jogo muito exigente e a equipa sente-se cansada, pelo que agora o importante é recuperar os jogadores para o próximo jogo, que é já na terça-feira e que todos sabemos ser importante para nós”, afirmou Julen Lopetegui no flash interview que se seguiu ao triunfo sobre o Paços de Ferreira (1-0).

Jackson Martinez destacou importância do triunfo em Paços de Ferreira

Jackson Martínez, o autor do único golo do desafio em Paços de Ferreira, salientou a importância da vitória e voltou a declarar que é feliz de Dragão ao peito. “Sabíamos que íamos sentir dificuldades, depois do que vimos no Benfica-P. Ferreira. Foi um jogo difícil, que se definiu em pequenos detalhes e estamos satisfeitos por termos conquistado uma vitória importante. Apenas prometo dar o máximo em todos os jogos, os golos são consequência do trabalho da equipa, pois eu não os marco sozinho. Fala-se sempre, mas estou concentrado no meu trabalho e no meu clube, que é o FC Porto”.
fonte: fcporto.pt

sábado, 16 de agosto de 2014

CARREGA PORTO: FC PORTO 2-0 MARÍTIMO

FC Porto-Marítimo, 2-0

Primeira Liga, 1ª jornada
6ª feira, 15 Agosto 2014 - 20:00
Estádio: Dragão, Porto
Assistência: 48.036

Árbitro: Carlos Xistra (Castelo Branco).
Assistentes: Nuno Pereira e Jorge Cruz.
4º Árbitro: Tiago Antunes.

FC PORTO: Fabiano, Danilo, Maicon, Martins Indi, Alex Sandro, Rúben Neves, Herrera, Óliver Torres, Brahimi, Quaresma, Jackson Martínez.
Suplentes: Andrés Fernández, Reyes, Casemiro (57' Herrera), Evandro (74' Rúben Neves), Ricardo, Tello (80' Brahimi), Adrián López.
Treinador: Julen Lopetegui.

MARÍTIMO: Salin, João Diogo, Bauer, Danilo Pereira, Dyego Sousa, Edgar Costa, Gégé, Gallo, Fernando Ferreira, Fransérgio, Rúben Ferreira.
Suplentes: Welligton, Ramsteijn, Alex Soares, Weeks (65' Gallo), Kukula (72' Edgar Costa), Briguel, Mazzou (83' Fernando Ferreira).
Treinador: Leonel Pontes.

Ao intervalo: 1-0.
Marcadores: Rúben Neves (11'), Jackson Martínez (90+4').
Disciplina: Gégé (58').

O FC Porto recebeu e venceu esta sexta-feira o Marítimo (2-0), no jogo inaugural da Liga portuguesa 2014/15. Rúben Neves (11m) e Jackson Martínez (90m+4) foram os marcadores de serviço na primeira vitória oficial da época.Um golo do jovem estreante Rúben Neves abriu caminho ao triunfo do FC Porto na sua estreia na edição de 2014/2015 da I Liga de futebol, ao vencer na receção ao Marítimo.
Rúben Neves, que se tornou no titular mais jovem de sempre dos dragões, marcou o primeiro tento da partida logo aos 11 minutos, imitando o "bibota" de ouro Fernando Gomes, que na sua estreia marcou dois golos. Em vantagem no marcador, os azuis e brancos procuraram sem sucesso chegar ao segundo golo.
Aos 94 minutos, no último minuto de compensação, Tello teve uma boa jogada pela meia direita, isola Jackson Martinez que marcou o golo da tranquilidade, estabelendo assim o resultado final que até podia ser mais volumoso não fosse a falta de oportunidades.
Destaques para Rúben Neves e Martins Indi que pode fazer esquecer Mangala. Há ainda muito a melhorar, algumas aresta para limar mas é preciso dar tempo ao tempo. 
Mais que tudo, era importante começar com uma vitória e o objectivo foi cumprido.

DECLARAÇÕES
Lopetegui: “Tivemos personalidade e identidade”
​Julen Lopetegui destacou dois aspectos fundamentais na conferência de imprensa que se seguiu ao triunfo do FC Porto sobre o Marítimo (2-0), na jornada inaugural da Liga portuguesa 2014/15. O treinador dos Dragões considera que a sua equipa teve “personalidade e identidade”, e sublinha que ainda há coisas que precisam de ser melhoradas, algo perfeitamente natural numa fase tão prematura da temporada.

“Sempre que ganhas, ficas satisfeito. Tivemos muitas oportunidades para resolver o jogo mais cedo, mas defrontámos uma equipa muito bem organizada e que nos criou dificuldades. O primeiro jogo nunca é fácil, mas creio que demos uma boa resposta e conseguimos o mais importante, que era vencer”, começou por dizer Julen Lopetegui.

Apesar de liderar um colectivo ainda em construção, o treinador basco considera que a equipa “fez muitas coisas boas”, mas alerta para a necessidade de ser mais eficaz no capítulo da finalização. “Marcámos dois golos em 22 remates, mas poderíamos ter marcado mais. É difícil criar muitas oportunidades de golo e, com o tempo, temos de ser mais eficazes”.

Pedindo “calma e tranquilidade” para com o talento de Rúben Neves, Julen Lopetegui elogiou ainda a moldura humana do Estádio do Dragão: “É maravilhoso ver o nosso estádio cheio e estamos felizes por termos podido dedicar a vitória aos adeptos”.



Jackson: “A chave foi a perseverança”


Em declarações ao Porto Canal após a vitória desta sexta-feira, com o Marítimo (2-0), da 1.ª jornada da Liga, Jackson Martínez, autor do segundo golo dos Dragões, realçou a “paciência” que a equipa demonstrou para atingir os seus objectivos.

O colombiano afirmou estar satisfeito com a vitória: “Foi muito bom trabalho da equipa, pois fizemos tudo o que fomos trabalhando na pré-temporada. Tivemos dificuldades, já que o Marítimo fez um bom jogo e a nossa pressão não saiu sempre bem, mas foi uma boa vitória”. Para Jackson, não há dúvidas sobre o que possibilitou a vitória: “A chave foi a perseverança, a paciência para conseguir desfeitear o Marítimo. Os jogadores que entraram, que estavam frescos, exibiram-se a um nível muito bom. Foi um excelente início perante o nosso público”.

Evitando falar do próximo adversário, o Lille – “neste momento, ainda estamos a pensar no jogo actual” -, o sul-americano não poupou nos elogios ao público presente: “Penso que, para todos os jogadores, a motivação aumenta com o público todo aqui. Quero agradecer a todos pelo apoio, que é algo que precisámos para conseguir dar o nosso melhor em campo, de forma a fazermos o melhor possível nesta campanha”.