Barra de Vídeo

Loading...

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

CARREGA PORTO: CLÁSSICO TERMINA EM EMPATE

Benfica-FC Porto, 2-2
Liga portuguesa, 14.ª jornada
13 de Janeiro de 2013
Estádio da Luz, em Lisboa

Árbitro: João Ferreira (Setúbal)
Assistentes: António Godinho e Luís Ramos
Quarto árbitro: Marco Ferreira

BENFICA: Artur; Maxi (cap.), Jardel, Garay e Melgarejo; Salvio, Matic, Enzo Pérez e Gaitán; Lima e Cardozo
Substituições: Enzo Pérez por Carlos Martins (57m), Lima por Aimar (68m) e Gaitán por Ola John (87m)
Não utilizados: Paulo Lopes, Roderick, Bruno César e Kardec
Treinador: Jorge Jesus

FC PORTO: Helton; Danilo, Otamendi, Mangala e Alex Sandro; Fernando, João Moutinho e Lucho (cap.); Defour, Jackson Martínez e Varela
Substituições: Defour por Izmaylov (75m), Varela por Abdoulaye (87m) e Lucho por Castro (90m+2)
Não utilizados: Fabiano, Kelvin, Sebá e Tozé
Treinador: Vítor Pereira

Ao intervalo: 2-2
Marcadores: Mangala (8m), Matic (10m), Jackson Martínez (15m) e Gaitán (17m)
Cartões amarelos: Enzo Pérez (47m), Matic (62m), João Moutinho (81m) e Maxi (85m)
Cartões vermelhos: nada a assinalar


O FC Porto empatou (2-2), este domingo, no terreno do Benfica, em jogo da 14.ª jornada da Liga. O encontro teve uma primeira parte frenética, com quatro golos em 17 minutos e os Dragões por duas vezes em vantagem. Numa partida que controlaram na maior parte do tempo, os azuis e brancos viram a equipa de arbitragem errar nos foras-de-jogo e perdoar duas expulsões aos lisboetas.
A formação portista entrou no terreno com uma atitude personalizada, com as suas linhas subidas e trocando a bola em passe curto no meio-campo adversário. Lamentavelmente, a primeira equipa a dar nas vistas pela negativa foi a da arbitragem: nos primeiros quatro minutos, “arrancou” foras-de-jogo inexistentes a Defour e Alex Sandro. Porém, o primeiro golo aos oito minutos, foi portista: livre de João Moutinho na esquerda e cabeceamento vitorioso de Mangala.
A resposta do Benfica foi imediata, num lance que nasce num pontapé de canto e termina num remate acrobático de Matic. O FC Porto não alterou as linhas-mestras do seu jogo e chegou ao 1-2 por intermédio de Jackson Martínez, aos 15 minutos, aproveitando um erro de Artur, que perdeu a bola.
Dois minutos depois o Benfica conseguiu igualar por intermédio de Gaitán. Desta forma, o Benfica marcou nas duas únicas situações da primeira parte em que chegou com real perigo à área portista. O FC Porto criou um maior número de lances de perigo ao longo dos primeiros 45 minutos, nunca perdendo o controlo da partida. Antes do intervalo, destaque para um novo erro do árbitro assistente, aos 35, impedido Varela de se isolar.
O segundo tempo foi bastante mais táctico e menos empolgante. Os azuis e brancos não tiveram, naturalmente, a mesma disponibilidade física e o Benfica teve mesmo uma boa oportunidade para marcar, por intermédio de Cardozo, aos 77 minutos, mas aí brilhou Helton. Dois minutos depois, Matic conseguiu escapar ao segundo amarelo, depois de uma falta sobre Otamendi, que partia para um ataque prometedor. Maxi viu finalmente o cartão amarelo aos 85', após sucessivas faltas duras. O golpe de karaté sobre Moutinho era, porém, merecedor de cartão vermelho.
Os jogadores e adeptos portistas ficam certamente com a consciência de que a sua equipa apresentou mais qualidade de jogo.

A luta pelo título prossegue no sábado (20h15), com a recepção ao FC Paços de Ferreira.

DECLARAÇÕES
Vítor Pereira: "Só não viu quem não quis"
"Quero, em primeiro lugar, dar os parabéns à minha equipa, porque foi igual a si própria, revelou qualidade e procurou impor o seu jogo. Foi um FC Porto personalizado que vi jogar no Estádio da Luz. Depois, quero dar os parabéns à nossa massa associativa e a todos aqueles que aqui estiveram, porque são grandes, porque nos ajudaram e acreditam na equipa. E vale a pena acreditar nesta equipa. Por fim, lamento os três foras-de-jogo mal tirados, que nos dariam a possibilidade de nos isolarmos para golo, e duas expulsões claríssimas perdoadas ao adversário. Uma delas é à minha frente e só não viu quem não quis. Nos últimos 15 minutos, o Benfica deveria ter jogado com menos dois jogadores. Vi um FC Porto de qualidade e vi o Benfica, o grande Benfica, a bater bolas na frente e a jogar nas segundas bolas. O jogo foi isto."

Jackson Martínez: "Estamos aí para a luta"

"Não queríamos o empate, queríamos ganhar o jogo e tentámos consegui-lo ao longo dos 90 minutos. Fizemos tudo para ganhar, mas o importante é que estamos aí para a luta, e ainda falta muito caminho para percorrer. Não soubemos segurar a vantagem em dois momentos cruciais, mas vamos prosseguir melhorando rumo ao nosso objectivo, que é o título."

Sem comentários:

Enviar um comentário